sábado, 16 de outubro de 2010

Medo


Paraliza-me esta sensação
Memórias do que não vivi
Tristeza por outros
Receio de abrir este peito
Medo de encarar minhas possibilidades...
A dor de outros entra-me na alma...
Minha sombra repleta das sombras do mundo...
Imagens desdobrando-se
Meus Eus, por aí afrontando realidades...
A mente presa num calabouço...
Até onde este escuro?
Até onde o medo...

Perséfone Hades (Bia Unruh)
Eu títere de mim mesma...

Publicado em: http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_textos_autor.php?cdEscritor=1077


9 comentários:

  1. Amei seu blog.
    Acabei de lançar um livro chamado Qualquer Versar, o download é gratuito. Dê uma lida:
    http://recantodasletras.uol.com.br/e-livros/2555650

    Iran Maia

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Fico feliz por ter encontrado um blog onde há poesia reflexiva. Aqui retornarei em breve, e que o medo,as sombras e os eus estejam presentes.

    Um amplexo!

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito da forma como escreve, embora divirja da minha. Inclusive, gostaria de desenvolver temas daqui no meu blog.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Caro Diourgnes,
    É na divergência que convergimos para nossa essência...
    Caríssimo,
    "Olho para mim outra vez, aliso as cicatrizes espalhadas pelo corpo, sem notar que a maior partes dos cortes leva minha assinatura." (http://adecimasexta.blogspot.com/2010/10/ab-absurdo.html)
    Esta para mim é a síntese do conhecer-se e reconhecer-se...
    O "escrevedor" é apenas alguém que busca a si mesmo.
    Também gostei de seus textos.
    Quanto a escrever sobre temas que escrevo, devo dizer que apenas abro minh'alma e pinto em palavras as sombras e luzes de meu próprio eu.
    Se quiser fique a vontade para linkar textos meus, e espero que possa também linkar textos seus que me falem ao coração.
    Abraços de Sampa
    Perséfone

    ResponderExcluir
  6. Passei para conhecer esse cantinho de amor
    Se me permites , te sigo com carinho
    Abraços
    Preciosa Maria

    ResponderExcluir
  7. Medo de ser-se e descobrir-se!
    Bela imagem e poesia!

    Ann Nothing lhe aguarda!

    ResponderExcluir
  8. o medo limita os sonhos,
    e mata a emoção que se perde..

    =]

    olha eu de volta aqui ^^
    www.euthiagoassis.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita, é muito estimulante que meus textos estejam sendo apreciados pelas pessoas, acho que esta é a realização de todo autor.
Beijos no coração de todos e LUZ sempre...
Perséfone